Autor: Maxambomba R. C.

A transformação do indivíduo através dos valores do rugby

Os valores do rugby são parte integrante das Leis e normas presentes no esporte, mas sua aplicação mais visível se faz quando não há disputa pela ovalada. O jogador de rugby é exigido dentro e fora de campo, mas fora de campo se espera que ele seja diferente do que o senso comum pode esperar.

 

Não se trata de sacralizar o jogador de rugby, afinal como qualquer ser humano está sujeito a vícios e virtudes, mas o comportamento geral de um atleta de rugby deve ser de exercício do estilo de vida dos valores do rugby.

 

Podemos citar os inúmeros exemplos de jogadores, seleções ou até equipes que foram citadas na imprensa por suas atitudes memoráveis, mas não podemos nos saciar com a prática deles. Temos que internalizar estes valores e praticar na sociedade, perpetuando um comportamento de integridade, paixão, solidariedade, disciplina e respeito.

Nelson Mandela e o capitão François Pienaar, recebendo o título da Copa do mundo de rugby que ajudou a unificar uma nação.

 

A construção do caráter sob estes valores deve ser a tônica da educação de um ser humano estável, qualquer seja sua religião, etnia, gênero ou classe social. Entretanto, as falhas do mundo em que vivemos tornou tais direitos verdadeiros privilégios, subvertendo o que deveria ser essencial a todos.

“Biel” e “Bob” capitães do Maxambomba e Rio Rugby, respectivamente, momentos antes de se enfrentarem pela terceira etapa da Copa Rio de Rugby XV. Foto: Luis Cláudio Amaral.

 

O rugby é uma ferramenta para devolver este direito ao ser humano, não apenas a privilegiados, mas dando oportunidade para que todos possam ser impactados por uma mudança do senso comum. Não é romantismo acreditar que as pessoas podem ser transformadas e parafraseando o professor Darcy Ribeiro em seu livro Universidade para quê?(Universidade de Brasília, 1986), há que se ter esperança, há que se ter na utopia as bases da orientação de atitudes transformadoras. O rugby é um instrumento para esta utopia, seus valores são as bases desta transformação.

Jogadores do Maxambomba e Carioca Rugby, junto de torcedores e da arbitragem, ao final da quarta etapa da Copa Rio de Rugby XV. Foto: Luis Cláudio Amaral.

 

O autor: Gabriel Sampaio é jogador do Maxambomba Rugby desde 2014, árbitro da RioRefs e advogado.

 

 

Assembleia Geral Extraordinária

No dia 30 de Novembro de 2019 será realizada uma assembleia geral extraordinária no Maxambomba Rugby Clube. Estão convocados para participar todos os atletas e ex-atletas, colaboradores e ex-presidentes do clube. Dentre as pautas que irão ser tratadas estão:

  • Alteração do Estatuto Social;
  • Aprovação do regulamento de ética, disciplina e conduta do Maxambomba Rugby Clube;
  • Alteração do quadro de Sócio Administrador;
  • Menção, sem registro notarial, das gestões de “Níger Morie” e “Vinícius Fernandes”;
  • Eleição da Diretoria Executiva para o biênio 2020/2022

Todos, filiados ou não, podem participar das eleições. Mas, o direito a votar é dado aquele que atua como associado, participando das atividades do clube em treinos, mensalidade, jogos e atividades várias.

O registro de chapas pode ser feito, inclusive, no dia da sessão de assembléia. O direito a ser votado se destina àquele que detém, ao menos, um ano de associação.

A assembleia ocorrerá no endereço R. Gov. Portela, 840 – Centro, Nova Iguaçu (Na unidade do CNA Nova Iguaçu).- RJ às 19h30m.

 

 

 

 

 

Maxambomba Campeão!

Neste último sábado (29 de outubro de 2019) o Maxambomba Rugby sagrou-se campeão da Copa Rio de Rugby Sevens. Torneio esse que é focado na modalidade olímpica do Rugby, onde se disputa com 7 jogadores para cada equipe, em partidas de 14 minutos divididos em dois tempos de 7 minutos. Após 6 etapas, onde o Laranja Guerreiro saiu como campeão em três, um terceiro lugar e duas quartas colocações, conquistou o título de campeão geral do torneio.

Com um fim de ano de 2018 conturbado, a comissão técnica junto da diretoria do clube decidiram que seria necessário voltar um passo atrás para restruturar do time e decidiram que, ao invés de disputar o campeonato estadual de Rugby XV (categoria tradicional do Rugby) optaram pela disputa  do torneio de Rugby Sevens. Nessa pegada, o time foi sendo construído e moldado pelas mãos do treinador Hugo Ferreira (vulgo Branca), que teve a sua disposição 18 atletas ao longo do torneio.

Primeira Etapa: Volta Redonda

Com pouca experiência na categoria, o Maxa chegou como uma interrogação para o torneio, que tinha diversas equipes com mais tradição no Sevens. E ao longo da etapa, jogo por jogo, a interrogação se tornou uma grande exclamação, com o Laranja Guerreiro ganhando todos os jogos de maneira mais que convincente, e levantando o troféu de primeiro colocado naquela etapa.

Treinador Branca e seus comandados

Segunda Etapa: Cachoeiras de Macacu

Já estando no radar dos adversários, nosso laranja foi até o Município de Cachoeiras de Macacu como um time a ser batido. E começou a etapa com derrota para o time da casa, apesar do pé esquerdo a equipe acordou a tempo e voltou a jogar o bom Rugby da primeira etapa, conquistando a terceira colocação.

Não faltou entrega ao longo de todo o torneio

Terceira Etapa: Nilópolis

Jogando em casa e com a força da sua torcida, o Maxa jogou com afinco esta etapa, mesmo não tendo desempenhando grandes apresentações, tanto por pontos a serem melhorados quanto aos adversários a certa altura já tinham aprendido a encarar de frente o nosso Laranja. Mais um primeiro lugar conquistado, com muita festa é claro.

Nosso Laranja Guerreiro se mostrou um adversário indigesto

Quarta Etapa: Itaboraí

Com uma viagem longa e o time não tão bem, o Maxambomba desempenhou sua pior etapa. Perdendo dois jogos e empatando um. Tendo conquistado apenas uma vitória contra o time da casa, o Ita Rugby, que esteve durante todo o campeonato na encalço do Maxa, se sangrando campeão da etapa e diminuindo a distância para um ponto de diferença para o nosso Laranja Guerreiro.

Mesmo nos piores momentos não deixamos de lutar

Quinta Etapa: Seropédica

A participação ruim na ultima etapa chacoalhou o clube, fazendo com que todos voltassem a treinar e se empenhar com o seu melhor. O resultado? Uma etapa irrepreensível, com mais um troféu de primeiro lugar. Saindo invicto do torneio quando se tratou de estar jogando no solo sagrado da Baixada Fluminense.

O Time se mostrou afinado no coletivo e nos talentos individuais

Sexta Etapa: Maricá

Já com o título garantido, o Maxambomba foi até a cidade de Maricá honrar seu compromisso com seus adversários, ficando em um quarto

Nossos Guerreiros honram nossa cores como sempre

lugar, com duas vitórias e duas derrotas, mas não atrapalhou em nada a festa do título. Com destaque para a estreia do técnico Felipe Rodrigues (vulgo Chico), que substituiu o treinador Branca que não pode estar nessa última etapa.

 

Pode soltar o grito da garganta, torcedor. O Maxambomba Rugby Clube é campeão!!!

 

Formação que disputou a última etapa do torneio em Maricá

 

 

A tão esperada Taça de Campeão

 

Começou a Copa do Mundo de Rugby!

O maior evento do Rugby mundial começou!!

A Copa do Mundo de Rugby de 2019 será a nona edição da Copa do Mundo de Rugby Union, e vai acontecer no Japão de 20 de setembro com o embate entre Japão vs. Rússia até 2 de novembro com a grande final. Desde 2003 a ESPN transmite a Copa do Mundo de Rugby e dessa vez não será diferente. Uma curiosidade sobre a Copa é que após a realização da edição de 2007, se deu a origem do Maxambomba Rugby Clube

Vamos fazer um pequeno guia para você acompanhar melhor a competição.

São quatro grupos de cinco seleções totalizando vinte nesta Copa, os dois primeiros de cada grupo avançam às quartas e os três primeiros garantem a vaga já na próxima Copa, em 2023.

O PAÍS SEDE 

A seleção Japonesa vem pra tentar fazer bonito jogando em casa.

Na primeira vez que a Copa do mundo de Rugby chega na Ásia, o Japão vem para mostrar que pode fazer mais do que a grande vitória contra a África do Sul em 2015 e conta com a força da torcida na revanche contra aquela seleção que ficou na sua frente naquela ocasião; a Escócia. A Irlanda observa tudo atenta para garantir o primeiro lugar.

 

O FAVORITO

Nova Zelândia, a favorita para ganhar o título mais uma vez.

 

A atual bicampeã da Copa, a seleção da Nova Zelândia, mais conhecida como os All Blacks, continuam como favorita a ganhar em 2019, mas já encara um grande desafio no seu grupo que é a também favorita seleção da África do Sul, os Springboks. É um dos maiores clássicos do rugby mundial, e é um confronto entre o estilo de jogo pesado dos Springboks, mais focado no pack de forwards que conta com Malcolm Marx, Eben Etzebeth, Du Toit, o capitão Syia Kolisi, entre outros nomes, contra o jogo de passes contínuo dos All Blacks de Beauden Barrett, Ben Smith, Aaron Smith, Sonny Bill Williams, que encantam a cada jogo. 

 

POSSÍVEL ZEBRA

Será que Fiji irá surpreender neste mundial?

 

Uma seleção que nunca entra como favorita mas sempre traz dificuldades é Fiji, com o seu jogo vistoso, de certo modo irresponsável. Com um histórico de grandes jogadores de linha, nesta copa Fiji vem com um elenco bem equilibrado com os excelentes Leone Nakarawa e Peceli Yato liderando o Scrum fijiano. Ainda mais com a vitória recente de Fiji contra a França, não podemos duvidar de uma possível vitória no Grupo D contra os favoritos Austrália e Gales.

 

GRUPO DA MORTE

 

Podemos dizer que o Grupo C é grupo da morte, com a campeã de 2003 Inglaterra, querendo mostrar que a Copa de 2015 ficou no passado, a tri-vice França com uma seleção renovada e sempre imprevisível em Copas, e a ascendente Argentina que quer ir além das semifinais alcançadas em 2015. As três seleções são todas muito fortes mas que vem com algumas dúvidas em relação ao seu nível atual de jogo, e isso garante que o equilíbrio será a tônica nesse grupo.

 

Abaixo vamos listar aqueles jogos que você não pode perder na fase de grupos 

 

GRUPO A

 

Japão

Irlanda 

Escócia

Samoa

Rússia

 

Favorito do Grupo: Irlanda

 

Jogos imperdíveis:

22/09/2019 Irlanda  vs Escócia          

Estádio Internacional de Yokohama

 

13/10/2019 Japão vs Escócia          

Estádio Internacional de Yokohama

 

GRUPO B

 

Nova Zelândia

África do Sul

Itália

Namíbia

Canadá

 

Favorito do Grupo: Nova Zelândia

 

Jogos imperdíveis:

21/09/2019 Nova Zelândia  vs  África do Sul  

Estádio Internacional de Yokohama

 

GRUPO C

 

Argentina

Inglaterra

França

Tonga

Estados Unidos

 

Favorito do Grupo: Inglaterra

 

Jogos Imperdíveis: 

21/09/2019 França vs Argentina

Tokyo Stadium

 

05/10/2019 Inglaterra vs Argentina

Tokyo Stadium

 

12/10/2019 Inglaterra vs França          

Estádio Internacional de Yokohama

 

GRUPO D

 

Austrália

Gales

Fiji

Geórgia

Uruguai

 

Favorito do Grupo: Gales

 

Jogos Imperdíveis: 

29/09/2019 Austrália vs País de Gales

Tokyo Stadium

09/10/2019 País de Gales vs Fiji

Estádio de Oita

 

O Autor: Lucas Farias, vulgo “Pedro II” é jogador do Maxambomba desde 2011, bibliotecário e nossa “data base” de informações sobre o rugby.

 

Taça da amizade: laços de irmandade e tradição no Rugby Fluminense.

Três clubes de rugby são tradicionais e fundamentais para manutenção da
chama do esporte no estado do Rio de Janeiro: Maxambomba Rugby Clube, Itaguaí
Rugby Clube e Volta Redonda Rugby Clube.

Esta afirmação não é pretensiosa, mas verdadeira. Tal prova se  observa na
história destes três clubes no cenário Fluminense, o Maxambomba Rugby Clube foi
fundado em abril de 2008, sediado em Nova Iguaçu, foi um dos primeiros times no
estado a se organizarem enquanto uma pessoa jurídica e formar-se como clube
associativo esportivo. Representa toda a baixada fluminense por ter sido o primeiro
clube da região.

 

 

O Itaguaí Rugby Clube representa toda a região da costa verde desde sua
fundação em junho de 2008, teve sua primeira partida oficial contra o Maxambomba
R.C. e desde então teve ascensão meteórica no Campeonato Fluminense de Rugby
Série B, sagrando-se campeão 2009 invicto.

O Volta Redonda Rugby Clube representa o sul Fluminense, tendo
sido o primeiro clube a representar a região. Fundado em julho de 2008 formou
atletas campeões nas divisões masculina, feminina e juvenil, tendo feito história com
o primeiro amistoso internacional de rugby do sul fluminense com a presença da
equipe Los Cedros (ARG).

Estes três clubes desde sua fundação em 2008 apoiaram-se mutuamente,
criando laços de amizade, de companheirismo e respeito. Cada jogo entre si era uma
oportunidade de ver rugby disputado em elevado nível e no máximo de dedicação.
Amizade entre clubes com histórias tão próximas merecia um marco por isso, em 2018, foi criada a “Taça da Amizade”.

A “Taça da Amizade” é um troféu símbolo do companheirismo e respeito
travado entre estes três clubes, que é disputado sempre que qualquer um dos três
clubes rivalize uma partida de Rugby XV. Atualmente o troféu está com o
Maxambomba Rugby Clube, pela memorável vitória no Campeonato Fluminense de
Rugby de 2018.

 

Maxambomba levantou a primeira disputa da Taça da Amizade

Disputas honorárias fazem parte da história do rugby, como podemos citar a
taça Beildy Alston (São Paulo x Rio de Janeiro), a Taça Irmãos Turbull (SPAC x
Niterói) e dentre outros exemplos no cenário internacional.

O Maxambomba R.C. espera e confia que a Taça da Amizade seja disputada
mais e mais vezes, que este título simbólico seja um lembrete do quão duro foi o
caminhar destes três clubes irmãos, mas que mostre principalmente  de como é gratificante
dividir o campo com tão valorosos representantes do rugby Fluminense.

O autor: Gabriel Sampaio é jogador do Maxambomba Rugby desde 2014, árbitro da RioRefs e advogado.

Estreia amarga.

Maxambomba estreia com derrota na Copa Rio de Rugby XV.

Neste último sábado o Maxambomba foi até Inoã enfrentar o time do Itaipuaçu, pela Taça Rio de Rugby XV, com o peso de retornar à categoria um ano depois de ter alcançado a sua melhor colocação no campeonato Fluminense de Rugby XV. Somando forças com os fowards do Volta Redonda Rugby, o Laranja Guerreiro chegou a ir para o intervalo estando na frente do placar por 15 x 10, com tries marcados por Lamir (asa), Pablo (ponta) e 1 penal try.

Falta de precisão nos tackles foi um dos problemas da defesa do Maxambomba.

Na segunda etapa, os problemas na linha de defesa e a falta de um banco de reservas levaram o Laranja da Baixada a sucumbir diante do Itaipuaçu. Com dois a menos em campo, nossos adversários avançaram no placar e garantiram a vitória de 37 x 25.

Com isso, o Maxambomba se encontra na quarta colocação no campeonato, atrás de Rio, Itaipuaçu e Itaguaí.

Agradecemos aos irmãos do Itaipuaçu pela ótima tarde de rugby.

Agora cabe ao Laranja Guerreiro treinar com afinco, corrigir seu erros e voltar a campo no dia 22/09 contra o Itaguaí Rugby em Seropédica.

-Laranja Guerreiro

-Maxambomba Rugby!

De volta ao XV

Amanhã, sete de setembro, o nosso Laranja Guerreiro entra em campo novamente, dessa vez em uma nova frente de batalha, fazendo sua estreia na Copa Rio de Rugby XV.

A novidade para este torneio será a parceria com a equipe do Volta Redonda Rugby que cedeu os seus atletas para integrar o pack de fowards do Maxa. Esta competição marca o retorno à categoria de Rugby XV, sendo que a equipe não disputou o campeonato estadual da categoria este ano, tendo sido a última participação no ano de 2018, com o terceiro lugar geral no campeonato estadual daquele ano.

Laranja Guerreiro de volta à categoria de Rugby XV.

Ao longo da semana toda a comissão técnica, atletas e o staff do clube trabalharam duro com os preparativos para essa partida, sabendo da importância que uma vitória logo na estreia pode dar para uma vantagem na tabela e deixar a moral do time alta. Torcemos para que nossos Guerreiros possam mais uma vez representar a Baixada Fluminense em campo e voltar pra casa com a vitória.

Laranja Guerreiro!
Maxambomba Rugby!!!